Notícias

Curso ‘Elaboração de Plano de Negócios para Migrantes’ é finalizado na plataforma Integrar NE2

Curso ‘Elaboração de Plano de Negócios para Migrantes’ é finalizado na plataforma Integrar NE2

O objetivo do curso foi promover o desenvolvimento de conhecimentos e competências para contribuir com o planejamento e acompanhamento de pequenos empreendimentos

Frente às dificuldades impostas por um país em crises como o Brasil, muitos migrantes e refugiados acabam por verem em pequenos empreendimentos sua única fonte de sustento. Mas se ser empreendedor no seu país, já é uma iniciativa difícil, é ainda mais desafiante empreender em outro país e durante uma pandemia global.

Neste sentido, acessar uma ferramenta gerencial que possa orientar desde o início de um empreendimento até sua maturidade mostra-se uma ajuda inicial importante, e uma dessas ferramentas é o Pano de Negócio. Bem estruturado, um Plano de Negócios tem a função de ajudar o empreendedor a planejar e direcionar suas ideias a fim de tomar as decisões mais acertadas possíveis para seu negócio. Diante disso, buscando tornar menos árdua a vida de migrantes e refugiados que aventuram em pequenos empreendimentos, a Cáritas Brasileira NE2 em parceria com a Fundação Inter- Americana (IAF) realizou entre setembro e outubro de 2021 o curso ‘Elaboração de Plano de Negócios para Migrantes’ ,com carga horária de 20h.

Por conta da pandemia, o curso foi realizado de forma remota, através da plataforma EAD ‘Integrarne2.caritas.org.br’. Com aulas e atividades ao vivo e gravadas, divididas em cinco módulos,  e com materiais em português e espanhol cujo o conteúdo abordou aspectos iniciais de um negócio, como escolha de nome, missão e objetivos de um empreendimento, aspectos relacionados ao MEI (Micro Empreendedor Individual), sumário executivo, análise de mercado, plano de marketing, plano operacional, plano financeiro, entre outros temas.

Esta primeira turma foi formada por 20 migrantes empreendedores, em sua maioria venezuelanos, que possuíam pequenos empreendimentos em diversas áreas como venda de bolos, lanches, serviços fotográficos, artesanato, serviços de marcenaria, entre outros. A maioria dos alunos inscritos era residente na RMR do Recife, além de dois alunos de Maceió(AL) e uma de João Pessoa (PB).

Para Carla Garcia, venezuelana que dá os primeiros passos para abrir um salão de beleza, o curso ajudou a colocar no papel custos de seu negócio e planejar cenários para o empreendimento, “estou muito satisfeita. Me ajudou a pensar como oferecer os serviços do meu salão, como aumentar as vendas nas estações baixas e atrair novos clientes. Aprendi muito”.

Para Javier Montaner, venezuelano que inicia um empreendimento para oferecer a fabricação de móveis planejados,  “mesmo a gente já tendo o conhecimento prévio em marcenaria, o curso ajudou a saber como iniciar o negócio no Brasil. Por isso achei importante”.

De acordo com Fagner Bastos, professor facilitador do curso, além do conteúdo houve também ganho na troca de experiências entre os migrantes. “A iniciativa acabou indo muito além da transmissão dos conteúdos formais. Em cada encontro, os migrantes compartilhavam suas experiências, uma vasta gama de saberes que eles vem adquirindo frente aos desafios de se obter renda no Brasil. Um intercambio que acaba por gerar redes que colaboram para que as dificuldades de adaptação deles sejam um pouco atenuadas”.

Para o peruano Luis Ángel, que pretende abrir um negócio de prestação de serviços de limpeza profunda para equipamentos de empresas, o curso ajudou a planejar seus próximos passos. “O produto deve ser estudado cuidadosamente para escolher o melhor para o seu mercado. O preço também deve ser ideal levando em consideração a qualidade e o serviço prestado. Sempre buscando a opinião de seus clientes. O mais importante é que você atenda às suas necessidades por um preço justo”, comenta. Ele se vê esperançoso para o futuro: “Cada contratempo tem uma ou mais soluções a serem descobertas no devido tempo. Amanhã sempre traz um novo dia com novas oportunidades”, finaliza.

O saldo geral foi considerado positivo, tendo em vista que 19 de 20 inscritos participaram das atividades propostas ao longo do curso. A conclusão do curso ocorreu no dia 16 de outubro com um encontro virtual para feedback dos alunos e entrega dos certificados de participação.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.