A Cáritas Brasileira, criada em 12 de Novembro de 1956 pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), como um de seus organismos, foi incumbida de articular todas as obras sociais católicas e assumir a distribuição do Programa de Alimentos para a Paz, subsidiado pelo governo estadunidense como um dos eixos de uma ação maior chamada “Programa Aliança para o Progresso”, implementada após a Segunda Guerra Mundial.

Em 1966, a quantidade de donativos para a Aliança para o Progresso começou a diminuir e, em 1974, o programa foi extinto e, junto com ele, alguns regionais e muitas Cáritas Diocesanas encerraram suas atividades. Entretanto, muitas equipes já vinham trabalhando para se adequar aos novos tempos e foram encontrando um novo caminho em torno das ideias da educação de base e da promoção humana no lugar do assistencialismo. Assim, deu-se um processo de renascimento da Cáritas Brasileira, apoiado nas orientações sociais do Concílio Vaticano II e da Conferência de Medellín.

Nos anos 1980, os(as) agentes Cáritas começaram a respirar o ambiente da educação popular, das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s) e dos Organismos e Pastorais Sociais (CIMI, CPT, CPO). Isso possibilitou a renovação de sua metodologia de ação. A nova estratégia exigia um estudo da realidade para melhor compreendê-la.

Foi nos anos 1990 que a Cáritas Brasileira projetou iniciativas inovadoras como a dos Projetos Alternativos Comunitários e, com equipes estáveis (nacional, regionais e muitas dioceses), ela assumiu uma liderança ativa no conjunto das pastorais sociais.

A Cáritas Brasileira é uma das 164 organizações-membros da Rede Cáritas Internacionalis presentes no mundo. Com 60 anos de história, é uma rede solidária de mais de 15 mil agentes, a maioria voluntária, com ação por todo o país. Nos últimos 10 anos pôde auxiliar mais de 300 mil famílias, contribuindo para a transformação de suas vidas e devolvendo a elas a esperança de novas conquistas.

Atualmente, está organizada em uma rede com 183 entidades-membros, 12 regionais – Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Norte 2 (Amapá e Pará), Maranhão, Piauí, Ceará, Nordeste 2 (Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte) e Nordeste III (Bahia e Sergipe) – e uma sede nacional. Atua em 450 municípios, sendo presença solidária junto às pessoas mais empobrecidas.

O Nosso Regional

Em Março de 2001, durante a celebração de 45 anos de existência da Cáritas no Brasil, foi aprovada pela Conferência Regional dos Bispos do Brasil a fundação do Regional Nordeste 2 da Cáritas. A partir dessa aprovação, a Diretoria da Cáritas Brasileira solicitou a convocação da assembleia de fundação, bem como a promoção de atividades solidárias em prol do fortalecimento das entidades-membro.

A fundação do Regional NE2 deu-se no dia 12 de Novembro de 2004, com o objetivo de aproximar a Cáritas Brasileira das entidades-membro, sendo estas as Dioceses de Caruaru, Pesqueira, Guarabira; Arquidioceses da Paraíba e Natal; Ação Social Diocesana de Patos e de Cajazeiras; Departamento de Ação Social Diocesano de Caicó e de Mossoró; Cáritas Arquidiocesana de Maceió e Centro Diocesano de Palmeira dos Índios.

De lá pra cá, no Regional Nordeste 2, tem-se destacado ações que respondem de forma efetiva às demandas sociais de homens e mulheres, a exemplo dos Programas de Convivência com o Semiárido, de Economia Solidária e de Infância, Adolescência e Juventude. Vale ainda ressaltar as iniciativas emergenciais relacionadas, sobretudo, às secas e enchentes.